Sobre

A Dra. Roberta Pansera (CRM 27052) é formada em Dermatologia pela Universidade de Caxias do Sul – UCS. Suas principais áreas de atuação são cosmiatria – ciência que estuda a beleza humana –, estética e lasertearpia, proporcionando tratamentos e protocolos específicos para diferentes finalidades, mas com o objetivo único de promover saúde e bem-estar a seus pacientes.

Entre em contato

FIQUE POR DENTRO DO

UNIVERSO DA ESTÉTICA E BELEZA

Cinco fatos sobre o melasma

Uma mulher branca, com olhos verdes, cabelos lisos e loiros, está olhando para a frente. Com cada uma das mãos, ela toca o seu maxilar de ambos os lados.
08 abril, 2021

Assim como outros tipos de manchas na pele, o melasma pode exercer impacto negativo sobre a autoestima. Mas você sabia que existem tratamentos que podem amenizar essa condição? Para que você entenda mais sobre o assunto, listamos cinco fatos importantes sobre o melasma. Confira!

1 – O que é o melasma?

O melasma é um tipo de hiperpigmentação da pele que causa manchas escurecidas em diversas partes do corpo, como mãos, braços, colo e rosto. Essas marcas costumam ter cor marrom e seus limites são bem demarcados, apesar de terem formato irregular.

A principal incidência de melasma é nas mulheres entre 20 e 50 anos. As pessoas com tons de pele mais escuros também são mais vulneráveis, já que, naturalmente, produzem mais melanina e estão mais sujeitas à hiperpigmentação da pele.

2 – Causas

O melasma não possui uma causa definida pela ciência, porém, a exposição prolongada aos raios ultravioletas é considerada um fator de risco. Por isso, a utilização de protetor solar é essencial para a prevenção e controle desse distúrbio.

As alterações hormonais também podem influenciar no surgimento do melasma no corpo. Alguns fatores que devem ser observados são:

  • A ingestão de medicamentos que possuam hormônios femininos, como os anticoncepcionais;
  • Disfunções na tireoide;
  • Tratamentos com reposição hormonal.

Além disso, as gestantes são um grupo com grande incidência de melasma. Isso ocorre devido à oscilação hormonal natural do período e é recomendado que mulheres grávidas façam o acompanhamento com um dermatologista como meio de evitar essas manchas.

3 – Existe diferença entre as manchas de pele e o melasma?

As manchas ocorrem a partir de processos que desencadeiam a produção excessiva de melanina na pele, gerando uma hiperpigmentação e o surgimento de marcas. Elas podem ser classificadas em diversos tipos, como manchas senis, rosáceas e as famosas sardas.

Essas manchas costumam surgir após processos inflamatórios e são uma resposta de defesa do organismo. Em geral, essas marcas podem ser tratadas com procedimentos estéticos e, por vezes, são completamente eliminadas da pele.

O melasma é um tipo de mancha, mas as suas causas são variáveis. Além disso, é um problema crônico e que costuma reincidir constantemente.

4 – Diagnóstico

O diagnóstico do melasma é feito com anamnese do paciente e avaliação do histórico familiar, ingestão de medicamentos ou reposição hormonal, entre outros fatores. Em alguns casos, também é feito um exame com a Lâmpada de Wood, esse aparelho permite a detecção de lesões na pele e as suas características.

5 – Tratamentos para melasma

A partir do diagnóstico do melasma, o médico dermatologista pode prescrever tratamentos que atenuem as marcas já existentes e minimizem a incidência de novas manchas na pele. Alguns dos principais tratamentos são:

Fotoproteção

Uma das primeiras medidas tomadas para a maioria dos casos é a proteção contra os raios solares. O dermatologista irá avaliar o tipo de pele do paciente e as suas necessidades específicas como meio de receitar o melhor tipo de protetor solar para o caso.

Os filtros mais utilizados são aquele com FPS (Fator de Proteção Solar) mais alto e que protejam contra os raios ultravioleta A (UVA) e B (UVB). A utilização dessa proteção é um complemento a outros tipos de tratamentos.

Clareadores

Com a estabilização da pele a partir da utilização de protetores solares, é possível iniciar o processo de clareamento do melasma. Para isso, o médico poderá indicar a utilização de cremes clareadores – eles auxiliam na despigmentação da pele atingida.

Esses produtos podem ser manipulados dermatologicamente com os ativos indicados para cada paciente. O tempo de duração desse tratamento varia com de acordo com as características do melasma, como tamanho, cor entre outros.

Peeling

O peeling é um tipo de procedimento estético que aplica agentes esfoliantes na pele, retirando impurezas e promovendo a renovação celular. Com ele, a parte mais superficial da derme é renovada, de forma a melhorar o aspecto do melasma.

Existem diversos tipos de peeling que podem ser utilizados para amenizar manchas, desde tratamentos leves até aqueles que atingem as camadas mais profundas da pele. Cabe ao médico dermatologista avaliar qual método é o mais indicado para cada caso.

Com esse tratamento, ocorre o clareamento gradual do melasma e ele pode ser realizado juntamente com a utilização de cremes ou medicamentos tópicos.

Saiba mais sobre os principais assuntos do mundo da beleza, entre curiosidades, dicas e tratamentos. ?‍⚕

Em nosso blog, você conhece as principais técnicas e conteúdos exclusivos sobre protocolos, procedimentos e tecnologias, a fim de agregar mais informação, saúde e bem-estar! ?

icon-ig-sidebar-hover icon-fb-sidebar-hover

Buscar no blog

Assine a Newsletter

Um novo olhar em beleza e saúde

Um ambiente confortável e planejado para promover o equilíbrio entre a estética e a qualidade de vida.

Open chat