Sobre

A Dra. Roberta Pansera (CRM 27052) é formada em Dermatologia pela Universidade de Caxias do Sul – UCS. Suas principais áreas de atuação são cosmiatria – ciência que estuda a beleza humana –, estética e lasertearpia, proporcionando tratamentos e protocolos específicos para diferentes finalidades, mas com o objetivo único de promover saúde e bem-estar a seus pacientes.

Entre em contato

FIQUE POR DENTRO DO

UNIVERSO DA ESTÉTICA E BELEZA

Outono: Entenda como a estação afeta a sua pele

No centro da imagem estão os antebraços e mãos de uma mulher branca. Ela veste uma blusa vermelha de mangas compridas e suas unhas estão pintadas com um tom escuro. O fundo da imagem é coberto por folhas de bordo.
22 março, 2021

As mudanças de temperatura, a incidência solar e a umidade podem transformar a pele, tornando-a mais suscetível a doenças e problemas, como o ressecamento. Com a chegada do outono, alguns cuidados devem ser redobrados para manutenção da saúde e beleza da pele. Acompanhe o artigo e saiba como cuidar da sua pele no outono. 

Como o outono afeta a pele?

A mudança entre o verão e o outono pode ser considerada brusca, devido às suas características tão distintas. Na estação mais quente do ano, há maior incidência solar e a umidade do ar é elevada. Já o outono possui prevalência de temperaturas mais frias, dias secos e com menos sol.

A pele reage a essas condições climáticas produzindo mais óleo e hidratação no verão, e perdendo umidade no outono. Ao perceber essa oscilação, é necessário adaptar a sua rotina de cuidados e tratamentos dermatológicos.

Como tratar a pele ressecada

Com os dias frios, a tendência é que os banhos se tornem mais quentes, fator que agride a pele e propicia maior ressecamento. Além disso, a porcentagem de umidade no ar tende a ser mais baixa nessa época do ano, fazendo com que a pele perca sua hidratação natural. Assim, algumas áreas do corpo podem se tornar mais ásperas, causando sensação de repuxamento e, até mesmo, podendo ocorrer descamação.

Para evitar esse ressecamento, é necessário investir na hidratação da pele, utilizando cremes e óleos que possuam propriedades hidratantes. O uso do protetor solar também é imprescindível, já que, mesmo em dia nublados, a incidência de radiação pode ser alta.   

Alergias de pele

As pessoas que possuem algum tipo de alergia podem sofrer mais durante o outono. Com o ressecamento causado pela baixa umidade do ar, a pele fica mais propensa a apresentar os sintomas alérgicos. Um dos principais é a coceira intensa, que pode acometer todo o corpo. Percebendo o agravamento de alergias, consulte seu dermatologista e nunca se automedique, já que isso pode agravar ainda mais o estado da pele.

Doenças de pele

O tempo frio e seco pode tornar a pele mais sensível, e isso propicia o agravamento de doenças preexistentes e abre caminho para a instalação de novas enfermidades. Conheça algumas dessas situações e os cuidados:

Pitiríase rósea

Essa é uma doença que causa erupções na pele e é considerada benigna. Surge principalmente na primavera e outono, estações com condições climáticas favoráveis à doença. A pitiríase rósea causa manchas avermelhadas e rosadas na pele, podendo apresentar coceira intensa.

Ainda não é clara a causa exata dessa doença, porém a maior probabilidade é que seu contágio seja viral. Costuma ter duração aproximada de 6 a 8 semanas, o que a torna muito incômoda devido ao prurido.

Eventualmente, essa enfermidade pode causar quadros de descamação intensa e manchas residuais, e a consulta com o dermatologista é fundamental.

Dermatite atópica

Esse tipo de pele sofre com uma doença chamada de dermatite atópica. Ela é bastante comum e costuma apresentar sintomas ainda na infância. Devido ao clima, o outono se torna uma das estações em que esse distúrbio apresenta agravamento, demandando maior atenção aos portadores.

Os fatores presentes no outono e que requerem maior cuidado por quem possui dermatite atópica são:

  • Baixa umidade: no outono, o clima tender a ser mais seco, a incidência de chuvas é menor e a utilização de aquecedores e ar-condicionado aumenta. Nesses ambientes, a pele tende a ficar mais seca e os sintomas da dermatite podem ser agravados.
  • Uso de roupas com tecidos sintéticos ou lã: com as temperaturas mais frias, os casacos saem do armário. Quando eles são fabricados com materiais sintéticos ou lã, a pele atópica pode ficar irritada, aumentando a incidência de prurido.

Quem possui esse tipo de pele deve estar sempre atento à hidratação e fazer acompanhamento recorrente com o dermatologista.

Doenças preexistentes e pele envelhecida

O envelhecimento e algumas doenças de pele costumam tornar a pele ressecada, e com a chegada do outono, essa característica pode ser potencializada. Quando não há a hidratação necessária, podem ocorrer descamações e coceira acentuada. Em casos mais graves, a pele apresenta lesões e inflamações que devem ser tratadas com acompanhamento médico.

Cuidados necessários

Para amenizar os impactos do outono na pele, alguns cuidados são necessários. Uma rotina de hidratação deve ser realizada, em especial no rosto, joelhos, cotovelos e pés. Banhos muitos quentes e a utilização de ar-condicionado devem ser evitados, pois ambos podem reter os níveis hídricos da pele.

Saiba mais sobre os principais assuntos do mundo da beleza, entre curiosidades, dicas e tratamentos. ?‍⚕

Em nosso blog, você conhece as principais técnicas e conteúdos exclusivos sobre protocolos, procedimentos e tecnologias, a fim de agregar mais informação, saúde e bem-estar! ?

icon-ig-sidebar-hover icon-fb-sidebar-hover

Buscar no blog

Assine a Newsletter

Um novo olhar em beleza e saúde

Um ambiente confortável e planejado para promover o equilíbrio entre a estética e a qualidade de vida.

Open chat